Arquivo

sexta-feira, 29 de junho de 2012

É difícil amar. Quando pensamos que o caminho certo é aquele que estamos a escolher e afinal é tudo ao contrário, isso torna-se difícil. É tão difícil quando temos que aceitar que perder também é uma escolha. E quando falo em perder, menciono perder o coração, o carinho de outrem ou até mesmo a nossa alma. É uma questão de aposta, na verdade. São escolhas que fazemos e nos direccionam para o bem ou para o mal. Não é uma questão de sorte por acaso, porque por acaso alguém se lembrou que assim não seria justo. É portanto, um tanto relacionado com a forma como reagimos às coisas. A ingenuidade é corroída pelas experiências que vivemos. E quanto não tenho eu para falar sobre isso. Quantas vezes não me encontrei perdida na minha própria inocência, enganada por mim mesma. Quando me agarrei a coisas que não devia. Quando esperei mais do que alguns podiam dar. Foi culpa minha apoiar os meus sonhos em pessoas demasiado pequenas para os concretizarem. E eu aprendi isso. É só mais uma etapa. Uma fase onde eu só procuro amor incondicional, compreensão, liberdade, leveza. Quero estar leve e livre, para poder voar por ai, por onde eu quiser, para onde o vento me levar. Quero o espontâneo. O inesperado. Não quero o visto, o previsível, o pouco original. Não quero viver uma vida igual à de todos os outros. Quero vivê-la a cada dia, a cada momento, da melhor forma que eu conseguir. E mesmo que os meus caminhos não sejam sempre os mais acertados, eu sei que fui eu quem os escolheu e vou ter a consciência tranquila quanto ao destino a que me conduzirem.
Stay true to yourself, it's the only thing you can guarantee.
One love.