Arquivo

terça-feira, 3 de julho de 2012

Os dias passam e eu vejo-me cada vez numa rotina que não é a minha. Os meus lençóis cheiram a tabaco. Tenho roupa espalhada pelo quarto porque já não a quero arrumar. Sinto-me impotente. É difícil de compreender para quem está de fora, e é por isso que tolero quando me criticam, mas eu não vejo nada que me dê gosto construir. Queria descobrir o Mundo, mergulhar num momento de paz e aconchegar-me nele, já que não tenho onde me aconchegar agora. As noticias correm demasiado rápido. Já toda a gente conhece o típico sentimento de solidão. Toda a gente se queixa de tudo e de nada. Mas será que conhecem o verdadeiro significado de nos sentirmos sozinhos? Porque é isso que eu sinto. É isso que eu tenho sentido. Como se o Mundo inteiro estivesse à minha volta e ainda assim eu sinto que não tenho ninguém. Eu sei que não preciso de ninguém. Tenho as minhas ideias bem fixas, o meu pensamento não precisa do suporte de outros, mas às vezes dá jeito um ombro carinhoso, uma festinha na cabeça ou um beijo na testa. Um gesto de carinho que me desse uma noite de sono mais descansada. Uma segurança para o dia seguinte.
Foi um desabafo.. Afinal é para eles que isto serve, certo?