Arquivo

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Tenho procurado um significado para o que tenho vivido, mas há momentos na nossa vida em que as palavras escasseiam.. Damos voltas e voltas na cabeça, mas não encontramos palavras que descrevam o presente. Ora pois, claramente que tenho vivido uma montanha russa, um misto de euforia e insegurança que me tira o sono durante as noites. A verdade é que me tenho acomodado à tua presença, às tuas palavras - e mais ainda! - ao teu carinho. Em pouco tempo conheci uma faceta tua que, após longos meses de amizade, desconhecia sem sombra de dúvida. Por um lado o receio, a incerteza, porque nem sempre as pessoas sentem aquilo que dizem, e as palavras perderam, para mim, grande parte da sua importância. Parece que sabemos sempre quando uma situação não é de fiar, mas lá vamos nós, sem travões nem preocupação com tal facto. Na outra face da lua, encontro braços abertos para me receber, para me acarinhar - e, quem sabe, acarinhar a minha alma, porque essa sim, precisa de conforto. Todos nós precisamos de algum conforto.