Arquivo

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Quis esquecer os teus olhos. Os teus olhos grandes e penetrantes, os teus olhos claros e carinhosos que me olhavam tantas vezes com rugas do teu sorriso. Esse sorriso que tantas vezes me levou para o melhor sítio do mundo. Esse sorriso que tantas vezesme salvou de mim mesma. Quis esquecer-me da tua voz, dos teus braços e das tuas mãos que sempre me ampararam. Os teus braços foram a melhor casa em que alguma vez vivi. Tu foste a melhor casa em que alguma vez vivi. Fizeste-me sentir em casa onde quer que estivesse. Fizeste-me sentir parte de alguma coisa que importava. Foram os teus olhos que me mostraram que eu tinha valor. Não sei como algum dia vou poder acordar e não me lembrar deles, postos em mim tantas vezes.